Não tô morta não!

… VOLTEI!

Gente, quem disse que ser esposa, filha, estudante, dona de casa, corredora, bailarina, mãe de cachorro e blogueira ia ser fácil!

Me lasquei! Meu bloguinho ficou abandonado!

Eu, geralmente, fico surtada no final de ano, agora imaginem com provas finais do primeiro semestre de uma graduação totalmente diferente, após quase 10 anos de conclusão da pós graduação em TI? Até porque eu mesma estou me cobrando demais, com o pensamento clássico: “já que não estou trabalhando, preciso arrasar na facu!” (nota mental: fia, pega leve, senão, você vai morrê até o final do curso!)

Então, entre, fazer trabalhos, estudar pra provas, cuidar da casa, bichos, marido, alimentação, treinos, espetáculo de final de ano do ballet, o blog foi cruelmente abandonado… Uma pena, pois a energia positiva de vocês, sempre ajuda a gente a ter mais pique pra ultrapassar as pedras do caminho.

Falando em pedra, fiz uma cagada daquelas! Claro, para a senhora megerinha, né?

Continuar lendo

Ballet – O Começo

Sempre achei o ballet a coisa mais linda e difícil do mundo. Aprender a programar em Java é fichinha perto de uma aula de ponta. Acreditem! Sendo assim, nunca nem sonhei em fazer aulas de ballet nesta encarnação.

Aí, não sei explicar de onde surgiu a “ideia ousada”, mas, no ano passado, nas férias em Machu Picchu, conversando com a amiga e bailarina, Claudinha, que nos recebeu em sua casa em Lima, me deu vontade de experimentar essa coisa de louco.

Clau, minha madrinha de ballet… rs

O ballet era algo totalmente diferente de tudo que já tinha feito (o mais ousado até então tinha sido 2 semanas de aulas de acrobacias circenses que foram abruptamente interrompidas após adquirir uma deliciosa tendinite bilateral no quadril! Affff… muito podre….). No final, que mal tem em tentar? Não devo nada pra ninguém… Ou melhor, dever, até devo, mas satisfação, não… Huahuahuahua

Usando o Wi-Fi do “Repartidor” da casa dos Felicíssimos em Lima, fiz uma busca no Google do tipo “ballet adulto iniciante Aclimação “ e no meio dos resultados estava o Studio K. Entrei no site, achei fofo e vi que tinham aulas para adultos iniciantes aos sábados! Tudo de bom! Mandei email pedindo algumas informações, só de zueira, pois pensei “não vão responder mesmo… ou, se responderem, vão demorar e essa ideia maluca já se foi… rs”. Para a minha total surpresa, a Karina (a dona) respondeu rapidamente e respondeu tudo o que eu queria e ainda convidou para uma aula experimental grátis!

Socorrooooo!

O coração veio na boca: “e agora? Vou? Finjo de morta?”. Conversei com o pessoal (Val e Claudinha) e TODOS eles me apoiaram. Falaram que ia ser demais, que eu ia adorar, que é muito gostoso, que é arte, poder e sedução (by Vivian Ferreira, que será apresentada a seguir).

Em Machu Picchu com a montanha Hayna Picchu ao fundo, que foi devidamente desbravada no dia seguinte a este da foto! ❤

Voltando da viagem da minha vida 💟, fui à escola fazer minha aula grátis no finalzinho de maio de 2014, num sábado de Sol, às 13h, com a querida professora Vivian. O que dizer desta arte que não sei nada e já considero pacas? Amor à primeira vista! 💟

Genteeeeeeee, que coisa mais divertida. Morri de vergonha, sou muito ruim, demoro o triplo do tempo pra decorar um exercício, mas é muito demais!

Totalmente, na contramão da ridícula frase: “Tá difícil? Vai fazer ballet!”, o negócio é tenso. Você sai da aula moída e pingando suor. É tudo muito forte e muito intenso. Sangue, suor e lágrimas… Ah, e cãibras também… Convido qualquer fortão aí pra fazer uma aula lá na minha turma. Mano, você vai chorar! Mas eu estarei ao seu lado… para rir, claro… Huahuahuahua

Fiz minha matrícula e fui suando… Quando foi em agosto, vieram com a novidade bombástica: o espetáculo de final de ano já estava definido.

Oi???

Espetáculo??? Eu???

Tá loka, fia???

A Karina foi em cada sala, explicou o tema, apresentou o número de cada turma e mostrou o desenho do figurino. Que fofura!!! Íamos dançar com a turma de básico da manhã. Que medo!!!

Conversei com meu marido animadão e é claro que ele falou que eu não podia ficar fora dessa! (Meu Deus, onde fui amarrar meu Cabelinho?)

Os ensaios começaram em agosto, um trechinho aqui e outros ali. Que dificuldade!

Não deu outra, lá pra setembro ou outubro, eu estava perdidaça de tudo e não me restou outra opção: fiz aulas de reforço. Fiz uma aula particular com a professora Vivian só pra tirar o atraso e me matriculei na turma da manhã! Ou seja, eu entrava às 10h na escola, parava às 11h30 para almoçar e às 13h pegava firme de novo na minha turma. Que loucura!

A melhor parte era o almoço com a Vivi, muita conversa, dicas, risadas, palhaçadas e o mais importante, ela sempre me dizia que eu estava indo muito bem, mesmo eu vendo que eu era a mais lerdinha da turma toda (8 bailarinas no total).

/momento chororô/

Lágrimas de agradecimento e carinho pela minha “prô” tão querida…

/fim momento chororô/

E foi assim que em 21 de dezembro de 2014, subi pela primeira vez em um palco para uma apresentação de ballet num espetáculo lindíssimo, ao lado de bailarinas fofas que me davam o maior apoio! Lov U, meninas! :-*

Fantasminhas ❤

Mais detalhes do espetáculo, num próximo post.