Punta Del Frozen – Uma Corrida Congelante

Vamos falar de coisas congelantes pra ver se dá uma refrescada?! 😉

Após 4 meses de descongelamento, já sinto as pontas dos dedos para poder contar como foi a Meia de Punta Del Este, que aconteceu no 18 de setembro do ano passado, minha última e traumática meia maratona.

Segue o livro… pega a pipoca…

Fiz a inscrição no comecinho de 2016, por esses dias faz um ano. Estava morrendo de vontade de participar desta prova porque adoro a cidade, é planinha e fresquinha e porque viajar pra correr é tudo de bom, né?

Agitei as coisas tudo, coloquei no calendário do ano, combinei com o treinador, o querido professor Augusto, e bora treinar. Até chegar nela, fiz outras duas meias e muuuuuitos quilômetros de treino pensando nela. Era a prova do ano, se não, a prova da vida!

O grande evento chegou! Que emoção! Avisei os professores da faculdade uma semana antes que eu iria me ausentar na sexta, segunda e terça, pois voaríamos na quinta à noite e voltaríamos na terça de manhã. Pronto! Fazer as malas e bora!

Costumo montar TODO o aparato para correr fora de casa na mala de mão pra não dar sorte ao azar, o tênis específico, meias, calcinha, shorts, camiseta, blusa corta vento, boné, iPod, Garmin, Accel gel, esparadrapo para proteger as áreas de contato já conhecidas… etc etc etc… nossa, um monte de coisinhas, mas todas essenciais e separadas com o maior cuidado!

Pegamos um “delicioso” vôo da Gol na quinta à noite, que foi o que deu pra trocar por milhas e completar com parcelas no cartão de crédito… 😛

Chegamos em Montevidéu por volta da meia noite e fomos pegar o carro que alugamos para ir pra Punta del Este no dia seguinte. Ficamos quase 2 horas pra pegar o carro. Meu humor chegou no pé, fome e sono são os gatilhos para eu me transformar no monstro do Lago Ness.

Fomos para o hotel do lado do aeroporto, tipo uns 10 minutos de carro, super tranquilo. Porém, o bichinho era zuadinho… hahahahaha… como o sono era grande e só precisávamos dormir um pouquinho para encarar a viagem no dia seguinte, colocamos o pijama e berço! De lá em Punta Del Este dá umas 2 horas, se não me engano, mas de madrugada não ia rolar.

Na sexta, acordamos animados e já fomos tomar café no primeiro horário. Café da manhã sofrido também… rs… mas o salão estava cheio, tinha um time de futebol que era de Minas Gerais, acho, porque tinha um casal na mesa ao lado que conhecia e estava conversando com eles.

Aí, como somos falastrões, já fomos fazendo amizade e descobrimos que o casal estava indo para Maratona de Punta também! Pronto! Já oferecemos carona e lá fomos nós 4 lindamente para Punta del Este. Um casal fofo demais, Carol e Juninho, que passou a viagem toda conosco. ❤ Vou dizer que foi o ponto alto da viagem, porque a corrida… vixiiii… vou ali vestir uma blusa, que lembrei do frio da prova…

img-20160916-wa0016

Junin e Carol ❤

Chegando em Punta fomos procurar lugar pra almoçar. Como é fora de temporada em setembro, é complicado achar lugares bacanas. Fomos num famoso, o Lo de Tere, comemos bem, mas tiramos no par ou ímpar e escolhemos o rim que ia ficar lá… Não foi o meu, graças a Deus!

À tarde combinamos com o casal mineirinho para irmos buscar os kits. Momento de alegria dos corredores! Aquela feirinha cheia de artigos esportivos, uma tenda da Garmin cheia de gadgets… uma loucura! Pegamos os kits e fomos pros nossos respectivos hotéis nos trocarmos pro jantar.

20160916_170912-1

Ele sem blusa e eu já no jaquetão pesado

20160916_173636-1

Na entrada do Conrad Punta del Este Resort & Casino, onde aconteceu a feira da Maratona

Mandamos whats pro casal, mas como eles não responderam, fomos jantar sozinhos num restaurante ao lado do hotel, o Il Baretto. Estava um frio da peste, a noite pedia um vinho, mas vida de corredor não permite, fomos de água mesmo… hahahahaha

img-20160917-wa0002-1

Meu cabelin ❤

Dia seguinte acordamos e tentamos falar com o casal… descobrimos que o maratonista, o Juninho, estava com febre! Por isso eles não responderam as mensagens na noite anterior. Coitadinho!!! Iam procurar farmácia para comprar um remédio que um médico da família tinha falado para ele comprar. Era infecção urinária, pode?

Fiquei arrasada, pois só um corredor para saber o que é uma preparação para uma maratona e chegar na hora H ficar doente! Que merda! Claro que Juninho chorou, não na minha frente, senão eu teria chorado também… Cogitou em fazer a prova mesmo assim, mas o médico o convenceu que as complicações pós prova, devido ao desgaste da maratona, poderiam ser fatais! Pobre Juninho…:-‘(

O Val e eu fomos passear de leve pela cidade e encontramos isso:

20160917_103835-1

Porto de Punta del Este

No dia anterior a Carol tinha nos dito que lá em Montevidéu o pessoal estava preocupado, pois na quarta-feira tinha acontecido um temporal em Punta Del Este e destruído geral! Mas quando chegamos na sexta-feira parecia tudo normal. Bem, claro que aqui ou ali se via muita vidraça quebrada pois as casas e apartamentos são tudo “trabalhados” no vidro (deve dar um trabalho pra limpar… #donadecasafeelings), coisa de cinema, as residências são fantásticas. Quando vimos estes barcos virados é que sentimos o tamanho do desastre.

Porém, a pequena cidade estava de parabéns, fizeram uma força tarefa gigantesca e colocaram tudo em ordem para receber os 5000 corredores e suas famílias para a Maratona de Punta Del Este! Não sei dizer com certeza se foi por causa do evento, ou se eles são iguais aos japoneses, que põe a casa em ordem rapidão após esses desastres da natureza, mas pela perfeição, não me parece que foi improvisado, deve ser o modus operandi dos caras. Estão de parabéns!

Demos um rolezinho…

20160917_104525

Os preparativos estavam quase prontos

20160917_105849

Ursinho nem tão fofinho…

20160917_105950

Val – o Gladiador

20160917_124108

Los Dedos

 

… e fomos para o segundo momento mais aguardado da viagem: almoçar no restaurante La Huella!!! Restaurante que fica em José Ignacio e já ganhou vários prêmios como melhor restaurante da América Latina. ❤ Vale muito a pena conhecer!

20160917_140248

Um copo d’água e uma Duvel não se nega a ninguém…

20160917_145251

Um casal de argentinos muito engraçado da mesa ao lado tirou esta foto pra nós.

Voltamos para o hotel já à tarde e devido à demora para fazer este post, não lembro mais o que fizemos até a hora de ir dormir… hahahaha… Quem falar que foi a cerveja eu vou dar na cara! Dividimos uma Duvelzinha de 330 ml! Nem vem!

Só sei que antes de dormir o coração já está na boca! Eu costumo dormir super mal antes de prova, ainda mais fora de casa! Separei tudo para o dia seguinte e já deixei em cima do sofá, pois se dá aquele probleminha de perder a hora (pouco provável, pois eu não durmo) é só se vestir e sair correndo do hotel!

Tudo separado nos mínimos detalhes, fui dormir, ou tentar… Valval desmaiou e dormiu deliciosamente, e eu rolando na cama… Lá pelas tantas consegui cochilar e de repente, no meio de um sonho, acordei DESESPERADA!!! rs…

LEMBREI QUE NÃO TINHA VISTO O TOP DURANTE A ARRUMAÇÃO DAS COISA! HAAAAAAALP!

Levantei correndo tentando fazer pouco barulho para não acordar a pessoa normal que dormia no quarto, peguei aquele monte de coisas e corri pro banheiro nas pontas dos pés.

Coloquei tudo em cima da tampa da privada e constatei que NÃO TINHA TOP NOS ITENS! E pior! EU NÃO TINHA TRAZIDO NENHUM TOP DO BRASIL! Tenho uma coleção de top e não tinha trazido nenhum!!!!

Gritei por dentro “PUTA QUE PARIU, VOU FICAR SEM MAMILOS CORRENDO SEM TOP DE COMPRESSÃO!”#aloka

Aí, se eu já não tinha dormido ainda, agora é que não ia dormir mais tentando bolar um jeito de mitigar o problema e ainda com raiva da minha falha, pois sou dessas que fica puta consigo mesma por qualquer deslizada…

Pronto, tocou o despertador lá pelas 5h, eu não tinha dormido nada, mas já tinha arquitetado um plano e parti pra luta. Tomei um banho delícia para despertar e executei o plano, vesti 2 soutiens “estilo” top, um por cima do outro e rezei pra não me machucar! Essa é uma das poucas vantagens de ter pouco peito! Ficou aceitável 😉

Tomamos café e partimos para o sacrifício…

10º C com sensação térmica de 5º C , não é lá muito frio pra pessoas normais, mas pra mim isso é quase o ALASKA!!!! Puta merda, saí na rua e perdi a ponta do nariz em minutos! Um vento dos infernos, dia nublado, uó! Aí me perguntam: “mas Marcela, não é melhor assim do que o calor senegalês da São Silvestre?”, respondo sem pensar muito: “Não!” rs

Olha, não sei se todos sabem, mas eu tenho uma teoria que poderia ser estudada, o inferno não é quente, é GELADO! Certeza…

Procuramos nossos amigos que iam fazer um trotinho na distância de 5 km pra não perder a viagem, mas não os encontramos. Caminhamos até o ponto de largada, já congelada e com essa cara de Falsiane para tirar fotos:

20160918_073930-1

Como tem gente de regata??? :-O

… to be continued…

(não tenho o dom da síntese, o post estava muuuuito grande, aguenta aí que a segunda parte já está quase pronta)

 

Anúncios

Um comentário sobre “Punta Del Frozen – Uma Corrida Congelante

  1. Diana disse:

    Affff, nega, MURRÍ de frio com esse post aeeeee!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!! Aventuras são necessárias na vida, né?! E no final das contas VALEU MUITO QUE EU SEI!!! Parabéns ao casal pela disposição e coragem nesse frio todo!!! Bjão!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s